Conheça os prós e contras ao utilizar o narguilé eletrônico

O narguilé eletrônico é um aparelho que traz a nicotina diluída em líquidos específicos (como o propilenoglicol). Deste modo é preciso lembrar que a nicotina é a substância responsável pelo vício, portanto, o cigarro eletrônico tem sido vendido como uma forma de largar essa dependência.

O uso deste dispositivo tornou-se uma técnica para parar de fumar. Inventado em 2003 por um farmacêutico chinês chamado Hon Lik, a alegação é que o produto permite consumir nicotina de forma menos nociva.

Um cigarro tradicional elimina mais de 4.700 substâncias quando é queimado e ao longo prazo pode trazer diversos problemas sérios de saúde.

Com uso de refis, o aparelho necessita de nicotina para o seu funcionamento, no entanto, alguns destes filtros possuem sabores como chocolate, menta e morango.


Como funciona o narguilé eletrônico

O e-cigarro ou vaporizador eletrônico permite estimular a sensação de um cigarro normal, mas a diferença é que ele não possui a substância que é decorrente do tabaco e é nociva à saúde e causa câncer de pulmão, entre outras doenças.

Durante o uso, a nicotina é diluída em propilenoglicol. Para ter esta mistura são necessários os refis, eles são armazenados em um reservatório dentro do dispositivo. O reservatório é ligado ao vaporizador e transforma o líquido em fumaça.

Na ponta deste e-cigar (filtro) o usuário traga este vapor, como se estivesse consumindo um cigarro comum. No mercado é possível encontrar o narguilé eletrônico com luz de LED na ponta, que indica quando está funcionando, para ter aspecto parecido com o modelo tradicional.

Entretanto, nem todos os líquidos dos refis são isentos de outras substâncias tóxicas, mesmo que possuam quantidades bem menores, por isto é necessário verificar antes de escolher qual comprar.


Prós e contras do narguilé eletrônico

Ainda existem muitas dúvidas referentes ao consumo do vaporizador eletrônico, no entanto, vamos qualificar alguns prós e contra do dispositivo, confira:

Prós do cigarro eletrônico

  • Fabricantes afirmam que é possível diminuir aos poucos a dose de nicotina do dispositivo, portanto, o vaporizador eletrônico pode ajudar quem deseja parar de fumar.
  • Existem versões a venda que custam menos que U$20 dólares.
  • O cigarro eletrônico funciona de forma simples.
  • Existem versões a vendas com sabores alternativos, assim como essências.
  • O dispositivo pode ser recarregado.
  • O e-cigarro não deixar odores nas roupas ou cabelos.
  • Na China, a prática é legalizada.

Contras do cigarro eletrônico

  • Sua venda é proibida no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), desde 2009.
  • Alguns usuários relataram que após uso constante, pode causar irritação na garganta.
  • Para profissionais, a única forma de largar o tabagismo é com acompanhamento clínico e terapia medicamentosa.
  • Como a ANVISA considera o cigarro eletrônico um produto que libera fumaça de derivados do tabaco, as restrições e leis contra o cigarro normal também se aplicam a ele.
  • Os modelos mais completos podem custar acima de U$200.
  • Como o dispositivo não é liberado no Brasil pode ser difícil encontrar o produto a venda, na maior parte das vezes é preciso procurar por comércios alternativos ou trazer o narguilé eletrônico do exterior.